A maioria dos empresários do mundo está adotando o armazenamento em nuvem devido à sua escalabilidade, acessibilidade, segurança e menos sobrecarga de TI, tornando-o mais barato.

Apesar de sua conveniência, a segurança do armazenamento em nuvem agora é uma preocupação em muitos estabelecimentos, pois os funcionários têm acesso aos dados da organização de qualquer lugar e a qualquer momento.

No entanto, o armazenamento de arquivos confidenciais expõe seus negócios a novos riscos.

Isso ocorre porque a nuvem está fora dos limites de proteção que você implementaria em suas instalações para proteção de dados. Em outras palavras, está fora de seu controle.

Entretanto, há um risco maior de vazamento não intencional ou comprometimento com mais dispositivos conectados à Internet. Nesse caso a utilização de um serviço VPN é essencial.

Dessa forma, redes virtuais privadas estão em alta graças ao acesso remoto, que cada dia está mais comum. Você pode saber mais sobre redes privadas lendo um guia para iniciantes sobre VPN.

Felizmente, existem maneiras de melhorar sua segurança de dados, mesmo ao usar a nuvem.

1. Melhore a segurança final do usuário

A segurança na nuvem não é apenas uma questão de ter as ferramentas certas para o trabalho.

Você também precisa garantir que você como gestor ou seus funcionários não representem um risco à segurança.

Qualquer usuário que mova dados ‘de’ e ‘para’ a nuvem representa um risco se seus próprios dispositivos não forem totalmente seguros.

Sendo assim, a primeira fase na manutenção da segurança em nuvem é treinar os usuários em como fazer uso da plataforma que sua empresa está usando.

Isto é, o uso inadequado da nuvem não levará apenas à ineficiência; Ele também abre as portas para você ou seus funcionários, causando acidentalmente uma violação de segurança.

antispam

2. Gerenciamento eficaz de senhas

Entre as funções do departamento de TI, está o gerenciamento de várias contas dos funcionários, o que dificulta o desenvolvimento de uma estrutura de segurança infalível para a sua empresa.

No entanto, senhas fortes desenvolvidas e gerenciadas por meio das ferramentas de gerenciamento de senhas ajudarão.

Ou seja, senhas fortes envolvem uma mistura de letras, números e símbolos em nenhuma ordem específica.

Altere suas senhas regularmente e sempre que um funcionário deixar a empresa, já que seu código de ética não os vincula mais.

Os usuários finais devem criar senhas difíceis de adivinhar, mas fáceis de lembrar.

Considere serviços de software que criam e armazenam senhas, se você deseja acompanhar muitas senhas.

3. Use autenticação multifatorial

O uso da autenticação multifatorial é mais seguro para evitar invasões, extravios e comprometimento de senhas.

A autenticação multifatorial exige outro fator para verificar a identificação, além do seu nome de usuário e senha.

O terceiro fator pode ser uma análise de voz, código exclusivo ou impressão digital, que somente o usuário tem acesso, gerado separadamente.

4. Criptografia

Considere criptografar dados na origem, em trânsito e até o fim.

Os analistas de segurança cibernética confirmam que a criptografia de dados na fonte é mais segura. Certifique-se de gerenciar a chave você mesmo.

Use criptografia ponta a ponta ao transportar dados para reforçar a segurança, embora os dados em trânsito sejam protegidos pelo advento do SDN com a virtualização da rede.

Mantenha toda a sua interação com o servidor do seu CSP por transmissão SSL para segurança. Um guia para iniciantes sobre VPN pode ajudar você a aprender mais sobre redes virtuais.

5. Gerenciar o acesso usando segurança de dados no nível do usuário

Você deve aproveitar os recursos precisos de controle de acesso baseado em função (RBAC), que permitem configurar permissões e acesso de edição de dados específicos do usuário.

Idealmente, o sistema deve permitir o acesso a uma segregação de direitos excepcionais, baseada em controle e aplicada dentro de um estabelecimento.

Isso ajuda a manter a conformidade com os padrões internos e externos de segurança de dados, como as estruturas COBIT e HITRUST.

arquivo em nuvem

6. Uso de uma política de exclusão de dados definida

Defina e aplique uma política clara de exclusão de dados com seus clientes.

No final do período de retenção de dados dos clientes, os dados são excluídos programaticamente conforme definido pelo contrato, o que resulta em mais espaço de armazenamento.

Também impede o acesso não autorizado a dados.

7. Monitorar e registrar as atividades do usuário

Digamos que um invasor consiga roubar as credenciais de login de um indivíduo com autorizações de alto nível. O que fazer agora? Pois é bem aqui que o monitoramento entra em jogo.

Além de monitorar a atividade do usuário, você também precisa salvá-la.

Desse modo, para certos dados críticos, você precisará armazenar um registro sempre que alguém acessar ou manipular os dados.

Ou seja, o registro de dados do usuário permitirá que você prove aos auditores que seus dados estão sendo monitorados e seja capaz de fornecer um relatório de quem acessa qual aplicativo em um determinado momento e local, em caso de violação grave.

Considerações finais

À medida que mais empresas adotam o uso da nuvem, a segurança do armazenamento está se tornando uma prioridade na arquitetura de TI e nas estratégias de segurança da informação.

As empresas agora estão mais conscientes da necessidade de proteger seus dados, pois permitem que sua equipe desfrute do desempenho e da flexibilidade da nuvem.

Assim que surgem novas ameaças à segurança dos dados, os estabelecimentos devem estar vigilantes para manter seus arquivos seguros.

Ler um guia para iniciantes sobre VPN pode ser o suficiente para evitar um desastre.

O CSP é responsável pela implementação de proteções de linha de base, como autenticação, criptografia e controles de acesso a dados processados nas plataformas.

Eventualmente, você complementará a criptografia com segurança reforçada para aumentar o acesso a informações confidenciais e reforçar a proteção de dados na nuvem.